Fronteira

A história do narcotraficante “goiano” que abastecia Fernandinho Beira-Mar com cocaína das Farc

Leonardo Dias Mendonça comprava 400 quilos de cocaína por mês das Farc e pagava com dinheiro e fuzis

“Cocaína: A Rota Caipira — O Narcotráfico no Principal Corredor de Drogas no Brasil” (Record, 823 páginas), do jornalista Allan de Abreu, contém informações impressionantes sobre o poderoso negócio, um esquema financeiro do balacoescracho. O advogado do narcotraficante Leonardo Dias Mendonça, Amaury Perez, teria subornado autoridades públicas, mas esbarrou num juiz decente, José Godinho Filho, da Justiça Federal em Goiás.

Godinho Filho escreveu, em sua decisão: “Prestava-se [trata-se de Perez] a papel baixo e desprezível para um advogado, como o oferecimento de promessas indecorosas a funcionários da Justiça”. Allan de Abreu frisa que, “de 1997 a 2002, Leonardo foi considerado o maior traficante em atividade no Brasil”. Seu comparsa Emival Borges das Dores, o Goiano, negociava cocaína com as Farc. Em 2001, comprava 400 quilos de cocaína das Farc por mês, em troca de dinheiro e de centenas de fuzis AR-15 e AK-47.

Fernandinho Beira-Mar e Romilton Queiroz compravam cocaína de Leonardo Dias Mendonça e Emival Borges e distribuíam notadamente no Rio de Janeiro.

O autor do livro é repórter do jornal “Diário da Região”, de São José do Rio Preto, ex-repórter da “Folha de S. Paulo”, professor universitário e é mestre em teoria da literatura pela Unesp. Ele ganhou um Prêmio Esso de jornalismo.

O livro trata Leonardo Mendonça como goiano, mas, embora criado em Goiás, ele é mineiro.

Agropeguaria PANTANAL
PUBLICIDADE:

JL MAT.CONST.
PUBLICIDADE.

Comentarios

Más popular

Arriba