Brasil

Em Caarapó (MS), colheita da soja chega a 60% e produtividade está abaixo da registrada na safra anterior

Chuvas excessivas comprometeram o desenvolvimento das plantações nesta safra. Rendimento médio gira em torno de 50 scs/ha. Até o momento, cerca de 50% da safra já foi negociada. Preços estão próximos de R$ 64,00 a R$ 65,00 a saca. No milho, plantio da safrinha chega a 60% e valores ao redor de R$ 35,00 a saca do cereal.

Até o momento, cerca de 60% dos 83 mil hectares cultivados com a soja em Caarapó (MS) foram colhidos. E o reflexo do excesso de chuvas já pode ser visto na produtividade das lavouras, que gira em torno de 50 sacas do grão por hectare. O número está abaixo da média da safra passada, de 55 sacas por hectare.

Segundo o presidente do Sindicato Rural do município, Antônio Umberto Maran, as chuvas excessivas comprometeram o desenvolvimento das plantas nesta temporada. “Ainda assim, acreditamos que possamos chegar a 53 sacas até mesmo 54 sacas de soja por hectare em média até a finalização dos trabalhos nos campos”, afirma.
PUBLICIDADE:download (2)
WWW.ALTOPARANADIGITAL.COM

As chuvas voltaram à região nos últimos dias, mas, por enquanto, não preocupam os agricultores e nem atrapalham a evolução da colheita, conforme destaca a liderança sindical. E, apesar das precipitações, a incidência de doenças não foi uma grande apreensão dos produtores nesta safra.

Logística

Paralelamente, as chuvas fortes trouxeram muitos transtornos aos produtores, especialmente em relação às estradas. Muitas rodovias foram danificadas com a adversidade climática.

“Essa situação nos preocupou muito no início, porém, os produtores, juntamente com a prefeitura conseguiram arrumar muitas estradas, que já estão transitáveis nesse instante. Claro que muitas coisas ainda precisam ser feitas, mas estamos conseguindo escoar a produção”, explica Maran.

Comercialização

Já em relação à comercialização da safra de soja, o presidente sinaliza que cerca de 50% da produção estimada já foi negociada. “Estamos com 60% da safra colhida e acreditamos que o restante, em torno de 40%, da produção os agricultores irão aguardar momentos mais propícios para a negociação”, completa.

Atualmente, a saca da oleaginosa é cotada entre R$ 64,00 até R$ 65,00 na localidade.

Safrinha de milho

Em meio ao andamento da colheita da soja, os produtores também evoluem com o plantio da safrinha de milho. A projeção é que cerca de 60% da safra já tenha sido semeada até esse momento e dos 83 mil hectares plantados com a soja, 80 mil hectares serão destinados ao cereal na segunda safra.

“E estamos dentro da janela ideal de plantio no caso do milho. Temos até o dia 10 de março para finalizarmos a semeadura do grão. O pessoal está animado com o milho e realizaram investimentos na safrinha. Somente alguns produtores migraram para a aveia ou braquiária”, diz Maran.

Já os preços estão próximos de R$ 35,00 a saca na região. Contudo, o presidente ainda reforça que quase não há milho da safra passada para negociação. Isso porque, diante da projeção de cotações mais baixas, ao redor de R$ 15,00 a saca, boa parte dos agricultores negociou o produto quando o valor chegou a R$ 18,00 a R$ 20,00 a saca.

“Quem vendeu acabou perdendo dinheiro no ano passado e hoje poderia vender a valores mais altos. Com isso, os produtores devem ter cautela, pois o cenário político do Brasil não está bom. O agricultor deve fazer a sua parte e manter os pés no chão”, finaliza o presidente.

Por: Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas
PUBLICIDADE:3Z
WWW.PARAGUAYDIGITAL.COM

Comentarios

Más popular

Arriba