Economia

Paulistanos fazem fila para reclamar do aumento da conta de luz

Tarifa em São Paulo aumentou 70%. Mas consumidores acham que estão pagando muito mais do que isso.

O assunto é o susto de muita gente com os valores das últimas contas de energia. Em São Paulo, consumidores fazem até filas, enormes, para contestar o valor da conta de luz e brigam para entender como foi que essa conta subiu tanto.
Eles devem, não negam, mas querem encontrar um meio de pagar menos. A tarifa em São Paulo aumentou 70%. Mas os paulistanos acham que estão pagando muito mais do que isso.
O começo da história todo mundo sabe: a tarifa foi represada, depois aumentou bastante e ainda mais com a seca. Sem água, as hidrelétricas não deram conta do abastecimento e tiveram que apelar para as termelétricas, que têm energia mais cara. O que a gente quer saber é o fim dessa história.
Maior do que a fila no posto de atendimento, só a conta de luz dos consumidores. A da Stephanie Lousano saltou de R$ 80 para R$ 320 e a atendente disse que o valor está certo. “Eu não vou pagar e, se for lá cortar minha conta, não vai, não deixo subir no poste”, afirma a desempregada.
Dona Pedronilia Martins mostra a conta que passou dos R$ 200, no mês passado. “Porque eles aumentaram mais, muito, muito. Para quem ganha… Aposentado, vai só pagar água e luz”, diz a aposentada.
Depois de discutir com a atendente uma mulher passou mal. A Patrícia fechou a farmácia que ela tinha e teve que brigar muito para que o aumento parasse nos sessenta e pouco por cento.
“Minha conta de R$ 900 foi para R$ 4 mil. A Eletropaulo disse que eu tinha que pagar para depois entrar com recurso. Eu falei: ‘não, você não está entendo. Quatro meses de energia, equivale para mim’. Aí eu consegui o recurso, depois de 30 dias, eles disseram que estava errado e me cobraram R$ 1,5 mil”, conta a comerciante Patrícia Torres.
Todos os dias, consumidores questionando ou procurando um jeito de pagar a conta de luz têm abarrotado os postos de atendimento da concessionária de energia em São Paulo. Isso é um efeito da disparada da tarifa, que vem subindo, de março do ano passado para cá, em todo o país. E subiu mais nos estados do Sul e do Sudeste.
A Eletropaulo diz que aumentou em até 30% o número de atendentes. E acredita que as filas vão parar de crescer, depois do carnaval, mas vão continuar com muita gente.
“A nossa expectativa é que vai normalizar em um patamar alto, porque a busca por condições melhores para pagar a fatura, a conta de luz, tem sido muito grande. Por causa do valor da conta”, afirma o diretor comercial da AES Eletropaulo, Rogério Pereira Jorge.
O economista especialista em energia Josué Ferreira acha que vai acontecer a mesma coisa com o preço da conta de luz. Vai parar de subir, mas…
“A tendência é que ele fique alto, permaneça alto, ao longo de 2016 e de 2017 e 2018 também. Só que poderá haver uma redução, a partir de 2017, se a gente tiver uma chuva abundante em 2016, que recomponha os reservatórios das usinas”, acredita.
A Eletropaulo disse que corta a luz 15 dias depois que avisa o consumidor sobre a falta de pagamento. Em caso de atraso, cobra multa de 2% e juros de 1% ao mês.
E a partir de fevereiro, os consumidores vão ter um pequeno alívio. A bandeira vermelha vai ficar um pouco mais barata, até 3% menor.

Comentarios

Más popular

Arriba