Economia

Dourados entra na era digital e sedia evento sobre moeda Bitcoin

Jornalista Ginez César desenvolve trabalhos na economia Bitcoin – Foto: Divulgação

Uma moeda digital considerada a responsável pela revolução financeira mundial, que está ganhando rapidamente a confiança do mercado internacional, já tem adeptos em várias cidades de Mato Grosso do Sul, inclusive em Dourados. A Bitcoin chama atenção não só pela modernidade, mas também pela oportunidade de um mercado que não para de crescer em países como China, Japão, Estados Unidos, Índia, vários países europeus e, principalmente, o Brasil.

No dia 5 de agosto, Dourados vai sediar um evento que trará informações sobre esse mercado e também oportunidades de negócios na economia Bitcoin. “Muita gente não sabe, mas em Dourados, assim como outras cidades de Mato Grosso do Sul, temos milhares de pessoas que transacionam esse ativo digital, que atualmente vale mais que ouro. É um mercado com potencial incrível”, diz o empresário Paulo Roberto Simões, que começou a trabalhar nesse mercado em abril desse ano.

“Decidimos fazer um evento na região para mostrar todas vantagens e potencialidades desse mercado”, completa Simões. A apresentação será realizada no Hotel Bahamas, na área central de Dourados e os interessados precisam garantir o convite com antecedência.

O evento contará com a participação do advogado tributarista, administrador e presidente da Minerworld, Cícero Saad. A empresa desenvolve e fomenta o mercado de moedas digitais em 22 países e conta com 56 mil afiliados, que são parceiros de negócio da multinacional. A Minerworld atua há cinco anos no desenvolvimento de produtos e serviços da economia Bitcoin e tem registrado um crescimento expressivo.

Em 2016 a expansão foi de 5000% e a meta para 2017 é chegar a 100 mil afiliados, pessoas que ajudam a fomentar o mercado em troca de uma rentabilidade financeira muito atrativa e um sistema de remuneração individual e por equipe.

A apresentação de negócios no dia 5 de agosto também contará com a participação do jornalista e apresentador de televisão, Ginez Cesar, que após conhecer o negócio decidiu investir e participar do fomento do mercado das moedas digitais.

“Mais que um negócio inovador, que é uma tendência mundial, me interessei pelo projeto, pois me possibilita aprender e ter uma rentabilidade sem comparações. A pessoa que tiver disposta a aprender e desenvolver o negócio terá um resultado que dificilmente é atingido no mercado de trabalho tradicional. Posso dizer que estou muito feliz com as consequências desse trabalho”, disse Ginez ao reforçar que será um grande prazer participar dessa apresentação na cidade onde trabalhou por quase 10 anos.

Bitcoin

A bitcoin é uma moeda, assim como o real ou o dólar, mas bem diferente dos exemplos citados. O primeiro motivo é que não é possível mexer no bolso da calça e encontrar uma delas esquecida. Ela não existe fisicamente, é totalmente virtual. O sistema bitcoin não é controlado por um Banco Central nem governo. Ela é produzida de forma descentralizada por milhares de computadores, mantidos por pessoas que “emprestam” a capacidade de suas máquinas para criar bitcoins e registrar todas as transações feitas.

No processo de nascimento de uma bitcoin chamado de “mineração”, os computadores conectados à rede competem entre si na resolução de problemas matemáticos. Quem ganha, recebe um bloco da moeda.

O nível de dificuldade dos desafios é ajustado pela rede, para que a moeda cresça dentro de uma faixa limitada e previsível, que é de até 21 milhões de unidades até o ano de 2140. Esse limite foi estabelecido pelo protocolo original da moeda e não pode ser alterado.

Com bitcoins, é possível contratar serviços ou adquirir coisas no mundo todo. Em abril deste ano, o Japão começou a aceitar bitcoins como meio legal de pagamento. O esperado é que até 300 mil estabelecimentos no Japão aceitem, até o final do ano, este tipo de dinheiro. No Brasil estima-se que cerca de três mil estabelecimentos aceitem bitcoins como forma de pagamento, alguns deles em Dourados.

O valor da bitcoin segue as regras de mercado, ou seja, maior a demanda, maior a cotação. Nos primeiros cinco meses de 2017, o interesse pela bitcoin explodiu. No dia 1° de janeiro, a moeda era negociada a pouco mais de mil dólares. No final de maio, já valia mais de 2,4 mil dólares. Os entusiastas da moeda dizem que o movimento de alta deve continuar com o interesse de novos adeptos e a maior aceitação.

Serviço:

Apresentação de Negócios no dia 5 de agosto de 2017, no Hotel Bahamas. Convites devem ser retirados antecipadamente com o responsável pelo evento, Paulo Roberto Simões.
Dourados news

Quer ver seu dinheiro dobrar em 12 meses? Cadastre-se na Minerworld.. 💵💰💰 https://backoffice.minerworld.com.br/waldirvip

Comentarios

Más popular

Arriba