Economia

CRISE NO MS: CCR quer paralisar duplicação da BR-163 e demitir 2,1 mil pessoas

Montante previsto de empréstimo não foi liberado; cobrança de pedágios continua.
A CCR MSVia, concessionária da BR-163 em Mato Grosso do Sul, anunciou na manhã desta quarta-feira a paralisação por tempo indeterminado das obras de duplicação da rodovia. A cobrança de pedágios seria mantida.
PUBLICIDADE:

A empresa não recebeu o montante previsto do empréstimo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e propôs à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) a paralisação dos serviços e a alteração do contrato, que determina, entre outra coisas, que os 845,2 quilômetros da estrada fossem duplicados em cinco anos, a contar de 2014.

Conforme o diretor-presidente da empresa, Roberto de Barros, houve aumento de juros do financiamento. Para piorar o cenário, só 21% do volume de recursos previstos foi liberado. Os investimentos para todas estas obras foram orçados em R$ 4,6 bilhões.

A dificuldade em cumprir as metas resultará, imediatamente, na demissão de 2.180 colaboradores, sendo que 2,1 mil deles são de empresas terceirizadas que prestavam serviço à concessionária. Os outros 80 são da própria CCR.

Para o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), a desmobilização dos canteiros significa atraso nas obras, redução de investimentos e desemprego.

“A continuação depende de uma decisão da ANTT. Por anos a BR-163 foi considerada a rodovia da morte e vamos tentar intervir com o governo federal para tentar uma viabilidade de retorno desse investimento”.
CORREIO DO ESTADO.

PUBLICIDADE

Comentarios

Más popular

Arriba