Brasil

Cassação de Temer pode causar grande impacto na economia, diz defesa

Cassação de Temer pode causar grande impacto na economia, diz defesa
Advogado do presidente afirma que ação do TSE é baseada em delações, não em fatos e que Tribunal deve ponderar impacto de decisão

© DR
A defesa do presidente Michel Temer alerta: o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) deve pesar os impactos na economia do país ao julgar a cassação da chapa Dilma-Temer. Se acusado, o presidente Michel Temer responderá por abuso de poder econômico e político na arrecadação de recursos e terá o seu mandato cassado. O que, segundo o advogado de defesa de Temer, Gustavo Guedes, terá “impactos diretos na economia”.

Em entrevista ao Jornal Folha de S. Paulo, Guedes se diz a favor das investigações, mas pondera que o julgamento deve ser feita com responsabilidade, pois, segundo ele, os impactos na economia são diretos. O advogado de Temer explica que a situação deixaria os estrangeiros preocupados e pouco confiantes para investirem no Brasil.

Há impactos diretos na economia. Eu brinco que a cada notícia mexe na bolsa, e efetivamente mexe. Sobretudo em relação aos estrangeiros, que ficam aflitos com o que pode acontecer. Esse é mais um componente que deve ser avaliado pelo tribunal. A repercussão social de uma decisão faz parte, é razão de decisão do julgador, assim como a prova do processo. Acho que tem de investigar. E o que estou dizendo é que se puna quem praticou as condutas. Porque se eventualmente houver separação da chapa ou improcedência, não quer dizer que essas pessoas ficariam sem condenação. Você pode levar isso para o âmbito penal.”

O advogado defende que o presidente não pode responder por um ato que não cometeu e, assim, justifica o pedido da defesa para separar as contas da campanha de 2014.

“O presidente não teve nenhum ato de arrecadação que não fosse para a conta dele. É o ponto central. Há um princípio constitucional que é o da individualização da pena. Não posso responder por algo que não pratiquei. Isso tem de se refletir no direito eleitoral. É possível neste caso individualizar a conduta”, explicou.

Guedes acusa o ministro relator Herman Benjamin de atropelar os procedimentos jurídicos neste último mês, prejudicando diretamente a defesa. Para o advogado, não há provas que condenem Temer, o processo é baseado em delações.

O texto lembra que a fase de instrução se encerrou na semana passada. Agora, caberá ao ministro dar o seu parecer e liberar o caso para julgamento.

Fonte: NAOM

Comentarios

Más popular

Arriba