Marketing

Finalista do “Musa do Brasil” morre após tratamento estético simples feito no rosto

Raquel Santos, finalistas do concurso “Musa do Brasil”, morreu na última segunda-feira (11) após um procedimento estético relativamente simples para corrigir o “bigode chinês”. Ainda não se sabe exatamente qual foi a causa da morte e, enquanto isso, médico responsável pelo tratamento e o viúvo da modelo trocam acusações. Será que um procedimento tão simples poderia causar uma morte? Entenda o caso e os riscos a seguir.

musa-do-brasil-morre-apos-procedimento-1

De acordo com a assessoria de imprensa do concurso, a modelo Raquel Santos, de 28 anos, havia se submetido a um procedimento para corrigir o “bigode chinês”, linha de expressão que se estende da base do nariz ao canto da boca.

Ainda segundo nota liberada pela organização do concurso, o marido dela, Gilberto de Azevedo, disse que ela sentiu o coração acelerado e falta de ar após o tratamento.
PUBLICIDADE:
GARFO DE OURO
Enquanto Gilberto acredita que houve erro médico durante a aplicação, o médico responsável pelo procedimento, Wagner Moraes, aponta outras possíveis causas, incluindo um enxerto nas nádegas que Raquel havia feito uma semana antes e o fato de ela ser fumante e fazer uso de medicamentos.

De acordo com informações do site G1, o marido a levou para o hospital, mas Raquel teve uma parada cardíaca e não resistiu. Ela, que representava o estado de Mato Grosso no concurso, deixa o marido e dois filhos – um de 7 e outro de 13 anos.

Procedimento é mesmo perigoso?

As técnicas mais comuns para disfarçar bigode chinês são o preenchimento com ácido hialurônico e a aplicação de toxina botulínica, que paralisa temporariamente os músculos da face. Ambos são procedimentos considerados de baixo risco.

No entanto, em entrevista ao site EGO, Dr. Moraes disse que aplicou 1 ml de metacrilato em cada lado do rosto.

O nome completo do componente é Polimetilmetacrilato (PMMA) e, apesar de ser aprovado pela Anvisa, tem indicações muito específicas, principalmente porque ele oferece riscos a longo prazo e não é absorvido pelo corpo, o que impossibilita a retirada caso ocorram infecções ou fibroses. Estudos mostram também que ele pode migrar pelo organismo e causar danos mais sérios.

Atualização

O enterro de Raquel, que aconteceria às 18 horas desta terça-feira, foi suspenso pela polícia. De acordo com informações do site de notícias G1, uma delegada, que não teve seu nome divulgado, apresentou um documento por volta das 16 horas para retirada do corpo da capela sob alegação de que será apurado um suposto erro no atestado de óbito. O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal.

Comentarios

Más popular

Arriba